Snow time… Chile

Chillan

Miya – Cold, it was chilly to the bone!  Our time began with a quick overnight stay in Santiago, before heading to the ski resort of Nevados de Chillán, 6 hours south of the capital.  The roads in Chile were impressive –  good signage, solid pavement, organized traffic.  It made our journey easy.  Much of the terrain on the drive down reminded me of California.  It was sure nice to be in the comfort of our own rental car vs. squished on a bus.  We stayed in these adorable wooden cabins fully equipped with a cozy fireplace, tiny kitchen and lots of English speaking TV channels.  We’d go out snowboarding and come back to a toasty cabin, take a hot shower and park ourselves inside for the evening.  It was a perfect opportunity for us to cook a meal and watch a movie.  But the one downfall to our cabin was that the water pipes would freeze at night!  In other to avoid that, we would have to leave the water running all night (suggestion of the owner), if not we’d end up washing our faces with bits of icicles.  I loved the fresh air and how blue the sky was.  Very quiet and peaceful.  After our adventures in the snow, we headed back to Santiago to get a flavor of the town, after all, big cities never fail to provide a solid selection of cool, international restaurants.  One night we were compelled to try a local Mexican joint and surprisingly, I liked it better than the food from Mexico!  Chileans also do a great job with their pastry shops. It only took me one glance through the bakery window for me to try the fluffy coconut cookie.  Chile provided me with the culinary pleasures of Santiago as well as the exposure to peaceful nature in the mountains of Chillán.  Great combo.  Muchísimas gracias!

My Favorite Foods:

1 – Creamy, Hot Chocolate from the “Coffee Shops” in Downtown Santiago

2 – Mexican Food restaurant in the Providencia neighborhood

*****

Paulo – Finalmente havia chegado a hora de me reencontrar com a neve após mais de um ano e meio. A nossa passagem pelo Chile começou em Santiago e fomos direto do aeroporto alugar a nossa super-máquina. Depois de muitas viagens de ônibus, táxi, lotação, etc, entrar no nosso “próprio” carro, botar uma musiquinha, ar condicionado e não depender de ninguém pra chegar, vale ouro! Após uma noite de descanso na capital chilena, pegamos a estrada rumo à Nevados de Chillán, uma estação de esqui a cerca de 400 Km (6 horas) ao Sul de Santiago. Eu vinha acompanhando a previsão do tempo e sabia que tinha nevado muito lá na última semana, então a possibilidade de encontrar condições perfeitas era grande. Aliás, estava nevando na noite que chegamos em Valle de las Trancas, cidadezinha no pé da montanha da estação, onde descolamos uma cabaninha bem legal pra ficar. Normalmente, eu viajo p/ neve preparado, com equipamento completo, mas nessa trip não faria sentido trazer tudo só para usar durante uma semana. Então acordamos no dia seguinte para alugar prancha, botas, calça, jaqueta, luva e até os goggles. Como tivemos que mudar de cabana na hora do almoço e o carro acabou atolando na neve na hora de partir p/ sessão, perdemos quase o dia inteiro e não aproveitamos o powder (neve fresca) que tinha caído no dia anterior. A partir desse dia, não nevou mais e as condições se deterioraram bem rápido… Acabei subindo na montanha apenas 3 dias, com a neve muito dura, mas mesmo assim feliz de estar andando de snowboard! No último dia da trip, decidimos partir p/ o litoral e tentar uma investida relâmpago em uma onda chamada Buchupureo, que fica a apenas 2 horas de Chillán. Essa onda é de nível internacional e escutei muitas historias dela quando estava na neve. O caminho foi espetacular, passamos por algumas vinícolas e muitas paisagens bonitas. Chegamos lá e pra minha surpresa, encontramos muito vento e pouca onda… Pelo menos deu pra conhecer o litoral chileno e ver o potencial do lugar. Para completar a sequência de eventos, o alarme do nosso carro disparou, travou e ainda por cima bloqueou o motor. Tive que esticar o dedão na estrada e pegar uma carona com uma ambulância que me levou na porta da casa do único mecânico da cidade. Por sorte ele estava lá. Voltamos p/ carro e após algumas horas de trabalho, carro consertado e pé na estrada de novo… Vale a pena comentar que essa cidade foi o epicentro do fortíssimo terremoto (magnitude 8.8) de fevereiro desse ano, então vimos muitos escombros e destruição ainda por lá. A ficha só caiu quando cheguei no hotel em Santiago, busquei na internet vídeos sobre o terremoto e comecei a ver imagens fortes de lugares que tínhamos passado durante o dia inteiro. Sem exagero, deu um aperto no coração e vontade de chorar… E eu que já estava quase reclamando do meu dia, mudei de atitude na hora. Obrigado Deus por mais uma experiência de vida e mais um motivo para agradecer todos os dias a vida boa que a gente tem.

Snow time

During the day, it wasn’t that cold

Day scene

Nevados de Chillán

Cabanas

Cabanas los Andes – our cozy homebase at the mountains

Fire

Light it up!!! It was impossible to stay in the cabanas without the “heater” turned on

Buchupureo

It looks better than it was… But we still saw lots of potencial and the beauty of the coastline

~ by The Local Way on August 10, 2010.

One Response to “Snow time… Chile”

  1. liinnddoo

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: